Menu

Planeamento familiar

The World vs.MS

Educação

09.07.18

blog header images

Pedimos à comunidade The World vs.MS para partilhar questões que tinham sobre a contraceção e o planeamento familiar, e fizemos essas perguntas à Dra. Melinda Magyari e a uma enfermeira especializada em EM, Macarena Rus.

blog header images

A decisão de querer constituir uma família é sempre muito importante para qualquer pessoa, especialmente quando se vive com EM. Quer decida ter filhos ou não, existem várias coisas que deve ter em atenção acerca da contracepção, planeamento familiar e como gerir a sua EM. Por isso, é importante ter conversas diretas e sinceras com o seu neurologista ou enfermeiro de EM sobre os seus planos futuros.

Os neurologistas podem ter opiniões diferentes quando se trata de gerir a EM e o planeamento familiar. Em parte, porque não se sabe bem como as terapêuticas modificadoras da doença (TMD) afetam a contraceção e a gravidez e não existe um conjunto claro de diretrizes a seguir. A Dra. Melinda Magyari e a Enf. Macarena Rus ajudaram-nos a esclarecer o assunto com base na sua prática clínica. Se tiver quaisquer perguntas sobre o seu tratamento, contraceção ou planeamento familiar, deve falar com o seu neurologista ou enfermeiro de EM.

 

Não estou a planear constituir uma família agora

P: Porque é importante informar o meu neurologista ou enfermeiro de EM que não estou a planear constituir família? Como é que isso tem impacto na forma como a minha EM é tratada

Melinda (neurologista): No meu ponto de vista, algumas TMD são altamente eficazes, mas existem provas que sugerem que algumas podem não ser seguras durante a conceção e a gravidez. Por isso, alguns neurologistas podem ficar relutantes em prescrever estas TDM a mulheres em idade fértil. Informar o seu neurologista de que não está a planear constituir família pode abrir um leque de opções de tratamento.

P: Não estou a planear constituir família. Alguma das terapêuticas modificadores da doença (TMD) receitadas pelo meu neurologista pode afetar a minha contraceção?

Macarena (enfermeira): Como base na investigação, as TMD não parecem afetar o bom funcionamento da contraceção. Se iniciar uma TMD, penso que é importante utilizar um método de contraceção eficaz enquanto está a fazer a terapêutica. Mais tarde, se decidir engravidar, deve falar com o seu neurologista ou enfermeiro de EM antes de interromper o uso de contraceção.

P: Sou homem e vivo com EM, mas a minha namorada não tem EM, devemos ainda assim utilizar contraceção porque eu estou a tomar uma TMD?

Macarena (enfermeira): Se não planeia ter filhos agora, deverá falar com o seu médico de família sobre a melhor contraceção para ambos, enquanto casal. Isto é especialmente importante quando está a tomar uma TMD, pois não existe muita investigação sobre a segurança das TMD em homens que tenham sido pais. Se, em algum momento, decidir ter filhos, é melhor informar o seu neurologista ou enfermeiro de EM.

P: Tomo a pílula contracetiva, mas não quero tomar hormonas durante demasiado tempo. Existem opções diferentes enquanto estou a tomar uma TMD?

Macarena (enfermeira): Penso que é importante para as mulheres que vivem com EM que estejam a tomar uma TMD optarem por um método de contraceção que seja o mais adequado para si. Se não estiver satisfeita com o seu método atual de contraceção, ou se tiver quaisquer perguntas, é melhor falar com o seu médico de família. A utilização de um método de contraceção eficaz é especialmente importante quando está a tomar uma TMD, pois para a maior parte destas, a segurança na gravidez e a possibilidade de efeitos teratogénicos não são totalmente entendidos. No entanto, o seu neurologista ou enfermeiro de EM poderá ajudar a ponderar os riscos e benefícios quando se trata de gerir a sua EM.

 

Posso vir a querer constituir família no futuro

P: Não estou a pensar ter filhos agora, mas gostaria de engravidar nos próximos anos. O meu neurologista tem de ter conhecimento disso?

Melinda (neurologista): O que partilha com o seu neurologista ou enfermeiro de EM depende completamente de si, mas eu recomendaria falar com o seu neurologista sobre planeamento familiar, visto que esta informação pode afetar a escolha da sua terapêutica.

P: Quão importante é o controlo atempado da EM com o tratamento ideal? A minha decisão de constituir família (agora, no futuro ou nunca) irá afetar isso?

Melinda (neurologista): O tratamento ideal para a sua EM antes de começar a tentar engravidar é importante. A investigação sugere que durante a gravidez o risco de ter um surto diminui especialmente no terceiro trimestre e aumenta durante os primeiros três meses após o parto. Informar o seu neurologista ou enfermeiro de EM sobre os seus planos de constituir família pode ajudar a trabalharem em conjunto para gerir a sua EM e ajudar a reduzir o risco de surtos após o parto.

P: É seguro engravidar enquanto estou a fazer a terapêutica e será seguro tentar ter um bebé no futuro?

<span class="f-green"Melinda (neurologista): Se pensa em engravidar, é sempre melhor falar com o seu neurologista pois existem vários fatores a ter em consideração, como o tipo de TMD que está a tomar. Penso que a maior parte das TMD não é segura durante a gravidez e deve ser descontinuada antes de tentar engravidar. Algumas TMD podem demorar algum tempo a serem eliminadas do corpo.

P: Sou homem e vivo com EM. Tenho de informar o meu neurologista se estou a planear ter filhos ou não?

Macarena (enfermeira): O que decide partilhar com o seu neurologista ou enfermeiro de EM dependente completamente de si. Mais uma vez, não existe muita investigação sobre a segurança das TMD em homens que estejam a tentar ter filhos, por isso recomendaria que informe o seu neurologista ou enfermeiro de EM sobre os seus planos futuros, especialmente se planeia ter filhos. Dessa forma o profissional de saúde pode responder a quaisquer questões ou receios que tenha.

 

Estou a planear constituir família num futuro próximo

P: Gostaria de começar a constituir família e teria de parar a terapêutica. A minha “cara-metade” teme que ao fazê-lo, isso possa me afetar assim como a minha EM. Tem algum conselho que possa partilhar?

Melinda (neurologista): Na minha opinião, existem evidências que sugerem que a EM, por si própria, não aumenta o risco de complicações na gravidez e não influência de forma negativa a doença a longo prazo. A investigação também sugere que a gravidez em si está associada a uma menor frequência de surtos, especialmente no terceiro trimestre. Por outro lado, existe um maior risco de surtos depois de ter o bebé. No entanto, existem vários factores que podem afetar a probabilidade de surtos durante a gravidez e penso que é importante tê-los em consideração. Por exemplo, quão bem a sua EM tem sido gerida no período até à gravidez. Concluindo, o melhor é informar o seu neurologista ou enfermeiro de EM se planeia constituir família.

P: Se eu decidir engravidar, o que pode acontecer depois de eu ter o bebé em termos do meu tratamento para a EM? Quando poderia reiniciar o tratamento?

Melinda (neurologista): Na minha opinião, depende de vários fatores. Por exemplo, se teve surtos no ano anterior, durante a gravidez ou se tiver uma RM realizada após o parto com novas lesões. Também depende se pretende ou não amamentar durante mais tempo. É melhor informar o seu neurologista ou enfermeiro de EM caso tenha quaisquer perguntas sobre quando deve reiniciar o tratamento, pois existem vários fatores que deve ter em consideração.

P: A minha EM irá interferir no facto de eu ser bom pai ou mãe no futuro?

Macarena (enfermeira): Viver com EM não interfere no facto de ser bom pai ou mãe. Quer viva com EM ou não, decidir constituir família é uma decisão pessoal conjuntamente com o seu parceiro ou parceira. Se está a pensar constituir família, é importante falar sobre isso com o seu neurologista ou enfermeiro de EM, pois podem dar-lhe orientação e responder a quaisquer questões ou receios. Existem muitas pessoas que vivem com EM que decidiram constituir família e estão muitos felizes com a sua decisão.

Se estiver a pensar em qualquer uma das perguntas acima ou se tiver outras, é importante que pergunte ao seu neurologista ou enfermeiro de EM. Ter uma conversa franca e sincera sobre os seus planos para o futuro, quer esses planos incluam ter filhos ou não, é importante quando se trata de decidir o tratamento ideal para si.

 

Acerca dos nossos peritos

expert1NAME

A Dra. Melinda Magyari é neurologista, com mais de 20 anos de experiência, autora de uma grande variedade de investigação publicada sobre a EM. A sua experiência abrange todos os aspetos da EM, tendo um interesse especial pelo planeamento familiar. A Dra. Melinda trabalha atualmente no Centro de Esclerose Múltipla da Dinamarca, em Copenhaga, e é também Diretora do Registo da Esclerose Múltipla da Dinamarca.

expert2NAME

A Enf. Macarena Rus, é enfermeira especializada em EM, com 10 anos de experiência. A sua experiência abrange todos os aspetos da EM, tendo um interesse especial por ensaios clínicos, nutrição e problemas da bexiga. A Enf. Macarena trabalha atualmente no Hospital Universitário da Virgem Macarena, em Espanha, e examina em média 30 doentes com EM por semana.

GZPT.MS.18.06.0101

Considera que este conteúdo foi útil?

  • Sim
  • Não

Obrigado por nos ajudar a melhorar o nosso feedback.

Ver os blogues

Quanto mais soubermos, mais conseguimos fazer. Veja as nossas páginas educacionais sobre como gerir a EM.

Clique para ler mais

Está prestes a sair de www.TheWorldvsMS.com

Está prestes a sair de www.TheWorldvsMS.com. A Sanofi Genzyme não é responsável pelo conteúdo deste site externo.

You are about to leave

www.TheWorldvsMS.com

You are leaving to visit another one of our group websites. This website may be governed by different terms and conditions.

Por que razão considerou este conteúdo útil?

Por que razão não considerou este conteúdo útil?

Obrigado pelo seu feedback.